A história de um povo também é feita de minudências afetivas e verdades comezinhas.

[ Portal do "AS" - esprema AQUI ]

A CADA MEIA HORA UM PENSAMENTO DI RENTE
>

sábado, 3 de julho de 2010

Hino do Sesquicentenário de Ipu - 1990


via blog do prof. CHICO MELLO

.

Hino do Sesquicentenário
Letra: Ramos Pontes
Música: Prof. Francisco Melo

Estenderam lusitanos mar afora,
A Pátria, a gloria da Europa Bela.
E de tempos distantes fulge agora
A terra que fértil a Joana deram!
Oh! Iracema à oiticica também canta;
Em ondas medias se acalanta!

Espalharemos das fronteiras raças
As saudades do oriental presente;
Desde o branco, à canção do tabajara.
Já a esta, tal legado pertencente!
Oh! Iracema à oiticica também canta;
Em ondas medias se acalanta!

Dos que passaram vemos as lembranças
Num futuro próximo redimido,
Permanece hoje a esperança
Da gente intrépida; quão destemida;
Oh! Iracema à oiticica também canta;
Em ondas médias se acalanta

Ergue a Bica fabuloso monumento,
Majestoso, onde se assenta a contemplar.
O Ipu, ave meiga em vôo sereno,
O horizonte nas alturas abraçar,
Oh! Iracema à oiticica também canta;
Em ondas medias se acalanta!

Dos imortais, cujas obras repousaram;
Do saber espargem, arcádias, flor.
Meritosos feitos de edis ficaram,
Num perene canto, ao terral amor!
Oh! Iracema à oiticica também canta;
Em ondas medias se acalanta!


Composto e Arranjado em 25 de julho de 1990, por: Francisco Mello (Música) Antonio Ramos Pontes (Letra). Foi cantado e executado pela primeira vez no DIA 26 DE AGOSTO DE 1990, pelo Coral Santa Cecília e a Euterpe Ipuense.

Nenhum comentário:

Postar um comentário